NOTA: 4.9

Quem está a fim de ver o melhor anime do gênero Mahou Shoujo de todos os tempos? Seja você quem for, você certamente concordará comigo que Puella Magi Madoka Magica não só é o melhor do gênero, como é melhor que a maioria dos animes de qualquer gênero.

Sinopse:

Kaname Madoka é uma estudante normal. Um dia ela tem um sonho em que uma criatura pequena, branca e felpuda aparece pra ela dizendo que ela é a mais forte Puella Magi (“Garota Bruxa” em latim, ou “Mahou Shoujo“, “Garota Mágica”, em japonês) de todos os tempos. Nesse sonho tem uma menina que está lutando contra aquilo que o ‘bichinho’ chama de Witch (“Majou” no original, “Bruxa”) e que só ela é capaz de salvar essa menina. Nesse instante ela acorda do sonho e vai pra escola, só pra descobrir que a tal ‘menina do sonho’ é uma aluna transferida que acaba de entrar em sua sala.

Essa menina se chama Homura Akemi e, por mais que a Madoka tente falar com ela, ela a trata friamente. O ser do sonho aparece algumas vezes e se apresenta como Kyuubee. Por algum motivo, Homura está tentando matá-lo e Madoka cria uma antipatia por ela por causa disso.

Ela conhece uma Puella Magi, Tomoe Mami, e ela e sua melhor amiga, Miki Sayaka, começam a andar junto com ela pra aprender mais sobre as Puella Magi.

Muitas coisas surpreendentes acontecem, mas até o terceiro episódio parece ser apenas ‘mais uma série do gênero mahou shoujo‘. Felizmente, não é, e você entenderá porquê depois que vir o terceiro episódio.

Análise:

Espero que não me crucifiquem nem parem de ler meus posts por algo que vocês podem considerar heresia, mas lá vai: Puella Magi Madoka Magica é um anime de nível comparável a Neon Genesis Evangelion (mais especificamente, ao final verdadeiro mostrado pelo OVA Death and Rebirth of Evangelion).

A história é sublime. Realmente sublime. Os dois últimos episódios, que, por sinal, saíram ontem no Japão devido a uns problemas (percebe-se a similaridade com Evangelion novamente) são excepcionalmente interessantes e não distoam em nada da série, ao contrário, tornam-na ainda mais perfeita e profunda.

Sim, profunda, um adjetivo que ninguém jamais pensou em usar pra descrever uma série mahou shoujo é, simplesmente, o melhor adjetivo pra descrever Madoka.

Melhor que Katanagatari com seus desenhos lindos, melhor que Jigoku Shoujo e C com seus tons pesados e escuros, melhor que o CG de Rebuild of Evangelion, a arte de Madoka realmente se sobressai. Não pelo design dos personagens, não, o desing é mediano. Não pelas cenas de ação, que, aliás, são sub-par. O destaque fica por conta das texturas e planos de fundo durante as cenas com as Witches. É simplesmente indescritível.

A única coisa que talvez tenha ficado devendo é a trilha sonora. Nenhuma música se destaca durante o anime e, ao contrário de, por exemplo, Kobato. que foi um anime mediano, mas é lembrado pela trilha sonora, Madoka não tem nenhum tom musical que nos faça lembrar da série. Como isso não é o mais importante dos aspectos, é apenas um mero detalhe, visto que mesmo que não nos lembremos da série pelas músicas, certamente nos lembraremos do enredo, eu tirei 0.1 pontos da nota final por causa disso.

É só isso que tenho a falar. Quase certamente, o melhor anime de 2011 e, certamente, um dos 20 melhores anime já produzidos de todos os tempos. Só falta você quebrar seu preconceito contra mahou shoujo (que certamente foi criado por séries como Sailor Moon ou outros animes do gênero) e apreciar completamente essa obra-prima anime.

Anúncios

»

  1. Feiqueman disse:

    Permita-me discordar. A trilha sonora de Madoka pode não ser marcante, mas é muito bem construida. Poucas vezes prestei tanta atenção às músicas e sons de um anime como nesse. Tem uma música em especial, uma com vozes de coral e flauta doce, bem medieval, que pra mim combinou perfeitamnte com o tom sombrio da série. O sonzinho de flauta no final de cada episódio também é bem “medieval” (deu para perceber que eu gosto de músicas desse estilo, né XD). Só a música de encerramento que achei pesada de mais, mas creio que seja enquilibrar com a de abertura que é muito leve.

  2. Gradow disse:

    Eu gostei, na verdade, só da música da Oktavia… A OP me decepcionou profundamente e a ED não é lá grande coisa. Eu realmente não notei grande parte das músicas IN, mas eu certamente permito a você discordar. Opinião é livre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s